FIQUE SABENDO AGORA
PUBLICIDADE
Municípios

Senai e Bamin abrem inscrições para programa de capacitação profissional

Publicada em 14/03/2011 16:35:58

Começam amanhã, dia 15, as inscrições para o programa de capacitação profissional Mina de Talentos, que irá capacitar gratuitamente mais de seis mil pessoas nas regiões de seis municípios do sudoeste e sul da Bahia.

O objetivo do programa – que será realizado em parceria pelo Senai e Bahia Mineração (Bamin) – é capacitar moradores destas regiões para trabalhar nas fases de construção e operação do projeto Pedra de Ferro, da Bamin.

Os cursos profissionalizantes serão ministrados inicialmente em Caetité, Guanambi e Ilhéus. No decorrer do programa, também estão previstos centros de formação em Pindaí e Malhada.

Os interessados em participar dos cursos poderão se inscrever entre 15 e 24 de março, de segunda a sexta-feira, das 8 às 12h, nos postos de inscrição localizados em Ilhéus (Colégio Estadual), Caetité (Praça Benjamim Teixeira) e Guanambi (Avenida Governador Nilo Coelho).

Os candidatos devem apresentar RG, CPF, comprovante de quitação do serviço militar (homens), comprovante de escolaridade e, principalmente, o comprovante de residência. Quem se interessar em participar pode obter mais informações no site www.bamin.com.br/minadetalentos.

Alcance


“Este programa pode ser considerado o maior programa de qualificação profissional realizado na Bahia, neste início de década, e um dos cinco maiores do Brasil”, afirma Jurandir Hendler, gerente do Senai para a região sul e sudoeste da Bahia. O programa não chama atenção apenas pela quantidade de pessoas que serão capacitadas, mas principalmente pelo investimento, que será de  R$ 16 milhões até 2013. Este valor inclui a aquisição de simuladores de última geração que serão utilizados na capacitação de operários.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb), José de Freitas Mascarenhas, ressalta a importância da qualificação da mão de obra na região do semi-árido baiano e no litoral sul, para estimular a permanência da população em suas cidades, evitando a migração para outras regiões. “Essa parceria entre o Senai e a Bahia Mineração é muito importante, pois oferece oportunidades de inserção no mercado de trabalho a milhares de trabalhadores”, disse. O Senai é uma das entidades que integram o Sistema Fieb.

Os cursos

Serão disponibilizadas mais de 5,5 mil vagas para os cursos referentes à fase de construção da mina e do terminal portuário da Bamin, divididos em quatro áreas: movimentação de terra e carga; obra civil; montagem elétrica e mecânica, e técnicas administrativas. Para ser selecionado, o candidato deverá residir na região, ser aprovado nos testes de triagem, ser maior de 18 anos e ter a escolaridade exigida para cada curso. Os participantes poderão se formar em mais de uma função, pois o objetivo é que o profissional tenha mais oportunidades para se recolocar no mercado de trabalho.
 
Para a fase de operação, serão disponibilizadas em torno de mil vagas para os cursos de capacitação, voltados para operação e manutenção na mina, usina, ferrovia e no porto. Para ser incluído na lista de participantes, também é preciso que o candidato comprove residência na região, tenha escolaridade mínima de Ensino Médio e seja submetido à prova de conhecimentos, avaliação psicológica, dinâmica de grupo, avaliação de desempenho escolar, entrevista e análise curricular.

Com a iniciativa, a Bamin espera que um elevado percentual das vagas para seu projeto sejam ocupadas por pessoas da região formadas pelo Mina de Talentos.

Disciplinas especiais 

Todos os profissionais selecionados para participar do Mina de Talentos cursarão, além do módulo específico escolhido, as disciplinas de Cidadania, Segurança do Trabalho, Sensibilização Socioambiental, Relações Interpessoais e Noções de Mineração.

Para Clovis Torres, vice-presidente-executivo da Bamin, “todos os cursos buscarão não apenas a formação profissional, mas também a formação de cidadãos conscientes e responsáveis. Por isso, eles cursarão disciplinas que estimulam o pensamento crítico e elevam a percepção social”.

Além disso, Torres afirma que os participantes dos cursos da fase de construção poderão ser incluídos, também, na fase de operação da mina. “Alguns profissionais que atuarem na fase de construção e tenham o Ensino Médio completo ou o completem neste período poderão ser aproveitados na fase de operação”, explica.


 

SIGA A TRIBUNA
ÚLTIMAS
Janete Freitas
00:02
Valdemir Santana
00:02
Raio Laser
00:02
Antonio Larangeira
00:02
Michel Telles
00:02
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Edição Online
(71) 3022-6046
Av. Magalhães Neto, 1856, Ed. TK Tower - Sala 619
Edição Impressa
(71) 3321-2161
Rua Djalma Dutra, 121, Matatu