Polícia Federal desarticula quadrilha que agia com venda de colchões magnéticos
TRÂNSITO AO VIVO
domingo, 26 de outubro de 2014
FIQUE SABENDO AGORA
PUBLICIDADE
Segurança

Polícia Federal desarticula quadrilha que agia com venda de colchões magnéticos

Publicada em 13/12/2012 20:09:05
Busca efetuada por agentes da Receita e da Polícia Federal
Busca efetuada por agentes da Receita e da Polícia Federal

A Receita Federal, a Polícia Federal e o Ministério Público Federal (MPF) deflagraram na manhã desta quinta-feira (13/12), em Salvador, a Operação Morfeu, com o objetivo de desarticular uma quadrilha que opera no comércio de colchões magnéticos.

O nome dado à operação vem da mitologia grega: Morfeu é o deus dos sonhos.

Investigações da Receita Federal revelam que um grupo do ramo de colchões magnéticos estava utilizando "laranjas" para ocultar os reais proprietários das empresas, blindando-os contra fiscalizações tributárias e representações criminais.

Foram identificados indícios da prática de crimes de sonegação fiscal, fraude à execução fiscal, falsidade ideológica, formação de quadrilha, uso de documento falso, entre outros.

Cerca de 30 agentes públicos, entre policiais federais e servidores da Receita Federal, cumpriram 6 (seis) dos 9 (nove) mandados de busca e apreensão expedidos pela 2ª Vara da Seção Judiciária, em três endereços: na residência de um casal com indício de envolvimento no esquema, num escritório do grupo e num depósito utilizado pela quadrilha.

Na residência do casal, foi encontrado um cofre com mais de 1.000 cheques de clientes. Na operação também foram apreendidos documentos de controle de funcionários e clientes, dinheiro em espécie, demonstrativos de faturamento, escrituras de imóveis em nome de terceiros, procurações, contratos, pedidos de vendas, discos rígidos (HD), notebooks e midias eletrônicas.

Toda a documentação coletada será analisada pela Receita Federal, para a identificação do montante de tributos sonegados e autuação dos responsáveis pelo esquema. O material coletado também servirá de subsídio para a investigação criminal dos envolvidos. 

SIGA A TRIBUNA
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
CAPA DE HOJE
PUBLICIDADE