TRÂNSITO AO VIVO
domingo, 23 de abril de 2017
FIQUE SABENDO AGORA
PUBLICIDADE
Bahia

Professora faz greve de fome em Pojuca

A professora Ieda Leones em protesto ao atraso no julgamento do Recurso Especial Eleitoral n° 1062, está ocupando a Câmara Municipal de Vereadores há mais de 24 horas

Publicada em 30/04/2013 16:25:16

A cidade de Pojuca (BA), mais uma vez, revive o dilema de depender de decisão da Justiça Eleitoral para definir o seu rumo político. Até o presente momento quem está no governo é a prefeita interina Cristina Nunes, irmã do candidato a prefeito Antônio Nunes que está em situação sub-júdice no Tribunal Superior Eleitoral em Brasília. Ele teve mais de 50% dos votos, mas foi barrado pela Lei da Ficha Limpa.

A professora Ieda Leones em protesto ao atraso no julgamento do Recurso Especial Eleitoral n° 1062, está ocupando a Câmara Municipal de Vereadores há mais de 24 horas, e, não pretende sair de lá sem que a Justiça Eleitoral conclua o julgamento. Vários alunos, amigos e familiares estão solidarizando com atitude da professora.

A situação da cidade é de abandono. Os serviços essenciais estão funcionando com precariedade, principalmente, à saúde e educação. As escolas não estão com cadeiras de aula suficiente e o Hospital Municipal inaugurado desde Setembro de 2012, atende somente 20% da sua capacidade.

O clima na cidade é de revolta com a gestão interina e com o TSE, que, começou a julgar o processo de (in)deferimento do registro de candidatura de Antônio Nunes, na sessão do dia 18/04/2013, deu empate.

Votaram pelo indeferimento com base na Lei Ficha Limpa à Ministra Carmen Lúcia, à Min. Relatora Nancy Andrighi e o Ministro Marco Aurélio. Votaram pelo deferimento às Ministras Laurita Vaz e Luciana Lóssio e o Ministro Dias Toffoli que com o resultado sugeriu à presidente a suspensão do processo até a sessão seguinte podendo até mudar o voto, no caso dia 23/04/2013.

Desde então não há nenhuma previsão de conclusão do julgamento. No Tribunal Regional Eleitoral o candidato teve seu registro indeferido pôr unanimidade.

Além do grave de fome da Professora Ieda Leones, que pertence à rede estadual e municipal de educação, os servidores públicos municipais também ameaçam paralisar as atividades já na próxima quinta-feira, a categoria vem sofrendo retaliações por parte da gestão interina, há casos de servidores que estão sendo dispensados temporariamente das atividades para que então à prefeita possa nomear seus apadrinhados políticos.

 
 

 

 

SIGA A TRIBUNA
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
EDIÇÃO ONLINE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE