FIQUE SABENDO AGORA
PUBLICIDADE
Segurança

Presos traficantes que incendiaram viatura da Rondesp em Cajazeiras

Publicada em 19/06/2013 17:49:08
Foto: DHPP/ Denarc
Acusados de envolvimento em pelo menos quatro homicídios ocorridos em Salvador, todos os criminosos já têm passagem pela polícia

Depois de 10 meses de investigação, os Departamentos de Narcóticos (Denarc) e de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) desarticularam uma quadrilha de traficantes com atuação nos bairros de Cajazeiras XI e Boca da Mata.

Carlos Alberto Sales Ramos, o “Betão”, de 26 anos, líder da quadrilha, Rafael Teles dos Santos, o “Tamarindo”, 28, Alex Sandro Jesus Guimarães, o “Leleque”, 33, e Ana Carine Santos Conceição, 25, foram presos entre sexta (14/6) e segunda-feira (17/6). Os dois primeiros em Itapuã e o restante em Cajazeiras X.

Acusados de envolvimento em pelo menos quatro homicídios ocorridos em Salvador nos últimos 18 meses, a quadrilha participou, em março deste ano, do incêndio a uma viatura da Rondesp, em Cajazeiras XI, quando homens quebraram o vidro e atearam fogo no veículo. O grupo foi apresentado, nesta quarta-feira (19/6), à imprensa, no auditório do DHPP, pelos delegados Clelba Regina Telles, titular da 2ª Delegacia de Homicídios (DH/Central), Jamal Youssef Amad, da DH/Central e Omar Andrade Leal, do Denarc.

De acordo com a delegada Clelba Regina, o traficante “Tamarindo”, com quem “Betão” mantinha contato de dentro do presídio, estava foragido da Colônia Penal Lafayette Coutinho, desde outubro de 2012, quando teve permissão de saída temporária e não mais voltou para o sistema prisional. Assim como Tamarindo, os outros criminosos já têm passagem pela polícia por tráfico de drogas e estavam com mandados de prisão preventiva, expedidos pela Vara do Júri e pela 2ª Vara de Tóxicos.

Batizada de “Grão Negro”, a operação conjunta do Denarc/DHPP resultou também na apreensão de dois revólveres calibre 38, ambos com numerações raspadas, uma balança de precisão, cadernetas de anotação, R$ 3,7 mil em espécie e certa quantia de crack, cocaína e maconha, já embalada para comercialização. O material apreendido estava enterrado no quintal da casa de Alex, na localidade de Areias, em Camaçari.

CRIMES
A delegada Clelba Regina afirmou que o grupo está envolvido no assassinato da adolescente Raíssa Costa de Oliveira, de 17 anos, que foi encontrada carbonizada no bairro do Calabetão, em janeiro de 2011.

De acordo com as investigações, o crime foi motivado porque a menina teria vendido duas armas do padrasto para integrantes de uma quadrilha rival à de Betão. Já o garoto Fabrício Costa Cruz, de 7 anos, foi vítima de uma bala perdida num confronto que envolveu componentes do bando, em janeiro de 2012.

Segundo o delegado Jamal Youssef Amad, o grupo está sendo investigado também pelo homicídio de Marcos Paulo Paixão dos Santos e sua namorada, Vitória Candido Silva, ambos de 17 anos, executados a tiros em Cajazeiras XI, em outubro de 2011. O crime teria sido motivado por uma dívida de drogas de Marcos com os bandidos.

Também responsável pelas investigações, o delegado Omar Andrade Leal, do Denarc, explicou que a quadrilha era bem articulada, com funções específicas: Betão como chefe, Alex demandando os trabalhos aos outros componentes, Tamarindo articulando as ações de dentro da cadeia e Ana Carine sendo responsável pelas movimentações financeiras oriundas do tráfico de drogas. O quarteto foi encaminhado para o sistema prisional, onde se encontra à disposição da Justiça criminal.

 

 

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Edição Online
(71) 3022-6046
Av. Magalhães Neto, 1856, Ed. TK Tower - Sala 619
Edição Impressa
(71) 3321-2161
Rua Djalma Dutra, 121, Matatu