Começam os festejos na Colina Sagrada
TRÂNSITO AO VIVO
domingo, 26 de outubro de 2014
FIQUE SABENDO AGORA
PUBLICIDADE
Cidade

Começam os festejos na Colina Sagrada

por
Naira Sodré
Publicada em 09/01/2014 07:39:26

Os festejos em louvor ao Nosso Senhor do Bonfim começam nesta quinta-feira (9/1), às 19 horas,  com a abertura do Ciclo de Festas da Colina Sagrada, com hasteamento da bandeira do Senhor Bom Jesus do Bonfim em frente à Basílica. Em seguida começa a novena cujo tema deste ano é a “Misericórdia de Jesus, o Senhor do Bonfim”.

A Peregrinação dos membros da Associação Católica Nossa Senhora de Fátima – Arautos do Evangelho e da Congregação Mariana faz uma homenagem ao Jornal Tribuna da Bahia,  no próximo dia 21 (terça-feira), durante a novena, quando o padre José Manuel de Andrade, coordenador dos Arautos do Evangelho, destaca o trabalho do jornal em sua cobertura jornalística diária. Também receberá homenagem póstuma o Capitão de Mar e Guerra Teodósio de Faria, que trouxe a imagem do Senhor do Bonfim de Portugal e construiu a Basílica.

A principal festa religiosa da Bahia e segunda maior manifestação popular do Brasil, tendo como ponto alto a Lavagem do Bonfim que acontece no próximo dia 16, segunda quinta-feira de janeiro. Nesse dia, milhares de pessoas vestidas de branco (uma homenagem a Oxalá, divindade do candomblé que é associada ao Senhor do Bonfim) seguem em animado cortejo da Basílica da Conceição da Praia, no bairro do Comércio, até a Colina Sagrada, no Bonfim, num percurso de oito quilômetros. O ambiente é de festa, onde as percussões e a música se misturam aos cânticos religiosos.

Após um culto ecumênico, uma queima de fogos de artifício anuncia o início da caminhada. Em seguida, as baianas, com seus jarros de flores e água de cheiro (mistura de seiva de alfazema com água de flores) seguem em direção à Colina para lavar o adro e as escadarias da Igreja do Bonfim. Autoridades, fiéis, pagadores de promessa e foliões acompanham o cortejo a pé, em carroças e caminhões enfeitados.

Curiosidades

As homenagens ao Senhor do Bonfim  tiveram início em 1754, quando a imagem do Senhor Crucificado – trazida pelo Capitão do Mar e Guerra da Marinha Portuguesa, Teodósio Rodrigues – foi transferida da Igreja da Penha, em Itapagipe, para a sua própria Igreja, na Colina Sagrada. Por sua vez, a lavagem da igreja teve início em 1773, quando os integrantes da “irmandade dos devotos leigos” obrigaram os escravos a lavarem a Igreja como parte dos preparativos para a festa do Senhor do Bonfim.

Com o tempo, adeptos do candomblé passaram a identificar o Senhor do Bonfim com Oxalá. A  Arquidiocese  de Salvador, então, proibiu a lavagem na parte interna do templo e transferiu o ritual para as escadarias e o adro. A partir daí a tradicional lavagem acontece com as portas da Igreja fechadas e as  baianas  despejam água nos degraus e no adro, ao som de cânticos religiosos.

SIGA A TRIBUNA
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
CAPA DE HOJE
PUBLICIDADE