FIQUE SABENDO AGORA
PUBLICIDADE
Notícias

Márcia Castro leva a sua "Pipoca Moderna" para o clube Fantoches

por
Valéria Ibalo
Publicada em 01/02/2014 10:33:41

Em sua 3ª edição, o projeto Pipoca Moderna, da cantora Marcia Castro, recebe no Clube Fantoches, no Largo 2 de Julho, em Salvador, vários nomes importantes do cenário nacional da MPB. O primeiro encontro musical vai acontecer neste sábado, dia 1º de fevereiro, e contará com as participações especiais de Mariana Aydar, Mariene de Castro e Sandra de Sá.

No dia 8 de fevereiro, outro sábado, a festa se repete com as presenças de Caetano Veloso, Ney Matogrosso e Otto. O último evento acontece no dia 22 de fevereiro, quando será a vez de Baby do Brasil e Karina Buhr, se apresentarem aos baianos.

O palco do Pipoca Moderna vai mostrar ao público as vertentes da riqueza e da diversidade da música brasileira, através de um repertório dançante, que representa o caráter de festa e comemoração impresso no verão baiano. Marcia Castro criará, mais uma vez, diálogos musicais entre diferentes artistas e gerações da música brasileira, através de uma atmosfera de música e dança.

Na primeira noite, hoje (1º), antecedendo a tradicional festa de Iemanjá, o roteiro do show apresentará músicas com traços dessa atmosfera ritualística, privilegiando a música negra, baiana e brasileira cantadas pela anfitriã, além dos convidados. 

Márcia Castro solta o verbo, fala sobre o Projeto Pipoca Moderna, seus convidados, expectativas e sobre ela mesma para a Tribuna da Bahia, dê uma olhada nesse bate-papo descontraído.

Tribuna da Bahia - Como surgiu o Pipoca Moderna? Teria como definir esse projeto?
Marcia Castro - A idéia do Pipoca surgiu do desejo de levar para o palco vários encontros musicais que eu já estava experimentando em minha vida a partir da mudança para São Paulo. Foram muitas conexões que estabeleci. Daí me pareceu interessante e divertido levar isso para o público, reunir todas as pessoas numa história.

Tribuna da Bahia - A festa já está na 3ª edição, esperava por isso?
Marcia Castro - Não esperava. A gente cria uma boa expectativa, claro. Mas não sabíamos que o projeto cresceria, que haveria essa continuidade. Agora, além de um evento de conexões, é também um desejo de levar para a Bahia toda diversidade da música brasileira no período do verão baiano. Brinco que é um projeto de Música Brasileira pra Dançar.

Tribuna da Bahia - Serão três apresentações com diversos convidados importantes, como foi feita a escolha deles?
Marcia Castro - A escolha foi feita a partir de muita admiração que tenho pelos convidados, de conexões anteriores com eles e do conceito das noites, que são formatadas a partir do perfil dos artistas. Tudo é pensado com muito cuidado.

Tribuna da Bahia - Algum motivo especial na escolha do local do evento, o Fantoches?
Marcia Castro - Tenho um carinho pelo Fantoches, por ser um espaço muito importante dentro da história do Carnaval baiano, por estar localizado num lugar que eu adoro, o 2 de Julho, pela arquitetura. O lugar traz a força de sua história. Tem a ver com o que queremos com o Pipoca. Memória e continuidade.

Tribuna da Bahia - Qual a expectativa para os shows?
Marcia Castro - A gente fica ansioso, claro. Mas a expectativa é maravilhosa. Queremos nos divertir bastante fazendo o nosso som e poder reverberar isso pro público. Essa é nossa maior expectativa.

Tribuna da Bahia - Como você se vê no mercado baiano e nacional? Quem é Marcia Castro por Marcia Castro?
Márcia Castro - Marcia Castro é uma menina voraz e cheia de sonhos musicais, espirituais, humanos. Me vejo como alguém que aos poucos tem construído uma carreira sólida, consistente. O que me importa é o caminho trilhado. Com paciência e persistência, tudo chega.

SIGA A TRIBUNA
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Edição Online
(71) 3022-6046
Av. Magalhães Neto, 1856, Ed. TK Tower - Sala 619
Edição Impressa
(71) 3321-2161
Rua Djalma Dutra, 121, Matatu