FIQUE SABENDO AGORA
PUBLICIDADE
Segurança

Morte de traficante gera ameaça de toque de recolher em Cosme de Farias

por
Mariacelia Vieira
Publicada em 15/02/2014 10:57:11

Um dia após a morte do líder do tráfico de Cosme de Farias, um anúncio de “toque de recolher” deixou, ontem, moradores do bairro e entorno, como Luiz Anselmo e Vila Laura, em alvoroço. Todos deveriam estar em casa ou com as lojas fechadas a partir das 16h30.  Esta era a informação passada via redes sociais, mensagens de texto e pelas ruas.

Representantes da 6ª Delegacia Territorial e 58ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM), contatados no meio da tarde de ontem, asseguraram que não procediam as informações e que essas áreas estavam tranquilas, com shopping, bancos e lojas funcionando normalmente.

A titular da unidade policial, Maria Dail Sá Barreto, informou que toda a imprensa estava atrás de uma notícia que não existia. Segundo ela, no final da manhã, o major Fernando teria feito um relatório sobre a situação, que permitia ela passar tal tranquilidade.

Na 58ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM), o subcomandante e  capitão Anderson confirmou o reforço recebido das equipes Polo e Águia e o patrulhamento garantido e sem anormalidades, contrariando informações passadas também por uma leitora da Tribuna da Bahia, de que na Vila Laura  todos estariam apavorados e as lojas fechando.

Outra moradora da área de Brotas informava no final da tarde que esse toque de recolher acontece em Cosme de Farias desde novembro passado, mas não tinha conhecimento de que a medida tivesse sido adotada ontem também em áreas do entorno.

A caixa de diálogos do WhatsApp de uma jornalista da Tribuna, vários recados  davam conta desse toque de recolher. O capitão Anderson pontuou, entretanto, que as informações atravessadas estariam sendo passadas por pessoas ligadas ao traficante Tiago Guimarães Pinto, o “Titanic”. Ele foi morto na manhã de quinta-feira, durante a operação Destroyer, deflagrada em Cosme de Farias e na cidade de Camaçari. Mais de duzentos PMs participaram da ação.

O irmão de “Titanic” Jackson Guimarães Pinto e o parceiro Diogo dos Santos também foram mortos. “A marginalidade gosta de fazer esse jogo para desestabilizar a segurança, mas não existe espaço para eles”, disse o capitão.

Tiago “Titanic” seria ligado ao Comando da Paz, líder do tráfico no bairro de Cosme de Farias e responsável por mais de 30 homicídios na área.

Durante a operação Destroyer, simultânea em Cosme de Farias e Camaçari, oito membros da quadrilha foram presos, dois adolescentes apreendidos e apresentados pela policia, na tarde de quinta-feira.

SIGA A TRIBUNA
Envie informações para a Tribuna
71 9206-5826
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE