Bell Marques diz que está nervoso e muito motivado para a carreira solo
TRÂNSITO AO VIVO
Whatsapp: 71 9206-5826
sexta-feira, 31 de outubro de 2014
FIQUE SABENDO AGORA
PUBLICIDADE
Entretenimento / Entrevistas

Bell Marques diz que está nervoso e muito motivado para a carreira solo

por
Antonio Luiz Diniz
Publicada em 22/02/2014 10:51:58
Foto: Divulgação
O cantor Bell Marques está saindo do Chiclete com Banana
O cantor Bell Marques está saindo do Chiclete com Banana

Bell Marques se despede do Chiclete com Banana neste Carnaval. Na madrugada de terça para quarta-feira, ele inicia carreira-solo, puxando o Bloco Vumbora, que estreia na folia de momo de Salvador este ano como o novo espaço do ídolo maior de uma nação batizada de “chicleteira”. 

Bell promete um repertório revivendo os seus grandes sucessos. Mas avisa: “vou mostrar, também, o disco solo, que será lançado oficialmente esta semana. Apesar de já ter pelo menos três músicas tocando nas rádios”.  O “band-leader” do Chiclete com Banana promete ainda, canções de Maria Rita, Raul Seixas e outros grandes nomes da MPB. Ele diz que, ao contrário de quando decidiu sair da banda, está muito feliz e entusiasmado com a carreira-solo. “Terei total liberdade para experimentar coisas novas”, adianta. 

A banda que vai acompanhá-lo terá muitos músicos experientes e até violinista e violoncelista. Neste sábado, ainda sob o comando de Bell Marques, o Chiclete com Banana comanda o “Ensaio Geral” do Bloco Camaleão, em Praia do Forte. Na oportunidade, chicleteiros de todo o país vão prestar uma homenagem ao ídolo maior.

TRIBUNA da Bahia - Como está o seu coração na hora da despedida?
BELL Marques- Está a mil! Estou bastante nervoso, mas muito feliz e motivado para começar minha carreira-solo.

TB - Você preparou alguma coisa especial para quando o Camaleão encerrar sua apresentação na terça-feira de Carnaval?
BM- O público tem pedido músicas das antigas. Algumas até que eu nem lembrava mais! Os Chicleteiros querem aproveitar essas últimas apresentações comigo à frente do Chiclete para reviver a nossa história e tem sido muito emocionante fazer essa retrospectiva. Não tem uma melhor forma de me despedir.

TB -  Como será a sua estreia no Vumbora, na madrugada de terça para quarta-feira de Cinzas?
BM - Espero que seja maravilhosa! Não tenho dúvida de que será um grande momento do Carnaval de Salvador e, claro, na minha carreira. Estou muito ansioso. Estou preparando muita coisa pra esse momento, pra que ele seja o mais inesquecível possível. Começo o percurso com uma versão de Avé Maria, de Gounod e vamos fazendo algumas ações durante o percurso que remetam à minha carreira. Além da homenagem ao artista plástico Carybé que farei nos abadás, faço uma homenagem também a Dodô e Osmar, que são para mim uma grande inspiração. Tocarei todas as músicas do meu novo CD e farei uma releitura de grandes sucessos que sempre gostei de tocar no violão. Músicas de Maria Rita a Raul Seixas.

TB - Como é começar de novo uma carreira, depois de mais de 30 anos na banda?
BM - Muito tenso! Risos. Mas, muito interessante. Estou feliz por poder voltar a ter aquele frio na barriga. Mas, ao mesmo tempo, toda a experiência que adquiri no Chiclete, o que me dá uma certa tranquilidade.

TB- O primeiro CD solo foi gravado à toque de caixa e você já divulgou três ou quatro músicas... Como foi este trabalho de produção?
BM - O processo de produção e da escolha das músicas é sempre muito prazeroso, mas muito cansativo também. Fiquei muito satisfeito com o que reuni neste primeiro álbum e espero que as pessoas gostem. Tem muita novidade, uma sonoridade mais completa. Digamos assim, com uma “metaleira”, violino, violoncelo, mas as pessoas vão reconhecer o meu jeito de cantar e tocar em todas as faixas.

TB  – Quais os músicos que participaram dessas gravações?
BM - Os músicos da minha banda nova. Eles já entraram nesse processo de gravação, até para que nos conhecêssemos melhor e pudessemos nos entrosar.

TB  – Qual a formação da banda que vai acompanhá-lo na carreira solo?
BM - São músicos maravilhosos, com passagem por bandas de grandes artistas da nossa terra. Não posso adiantar muito, mas vocês saberão na hora certa! Risos.

TB  – Vai ter o show mesmo no aniversário da cidade? Onde será?
BM - O convite existiu, mas não sei de mais nada! Risos.

TB - Você já tem shows agendados para depois do Carnaval em São Paulo e Porto Seguro. Como está a sua agenda?
BM - Está enchendo! Estou muito feliz com a confiança das pessoas no meu trabalho e já estou lotado até julho. Não abrimos a agenda do segundo semestre ainda, mas a procura pelas datas está me deixando muito contente.

TB  – Qual será o bloco que Bell Marques vai puxar no Carnaval de 2015? Nana Banana, Camaleão? Já existe alguma negociação neste sentido
BM - Em 2015, o Vumbora já está certo. A questão dos outros blocos, tanto de Salvador quanto dos outros eventos no Brasil afora, só será definida depois do Carnaval, quando poderemos analisar tudo com mais calma.

TB - Você ainda continua sócio da Mazana e da Banda Chiclete com Banana... Como ficará os seus negócios com a sociedade com o pessoal do Chiclete, a partir de agora? Já houve alguma conversa?
BM - Essa conversa também vai ficar para depois do Carnaval.

TB – E a sociedade com os meninos da Central do Carnaval?
BM - Nada quanto a isso foi decidido ainda.

TB –Você conhece Rafa Chaves escolhido para assumir a sua vaga no Chiclete com Banana? O que você achou da escolha?
BM - Não tive a oportunidade de conhecê-lo ainda, mas desejo sorte e sucesso.

TB  – Gostou da música “Vida que Segue” lançada pelo Chiclete na voz de Rafa Chaves?
BM - Confesso que não ouvi ainda. Mas, o Chiclete é uma ótima banda, com experiência, e sabe o que faz.

TB - Você sempre falou que o Chiclete não tinha fã clube, tinha torcida. Esta grande torcida vai seguir Bell Marques ou vai se dividir?
BM - Eu acredito que vão se dividir. O chicleteiro é muito fiel. Já recebi o apoio de muitos deles e fico muito feliz. Mas sei que eles vão continuar seguindo o Chiclete também, pois foi onde tudo começou.

TB – Você  falou que saiu do Chiclete com Banana porque não estava feliz? Hoje este sentido mudou? Você está feliz com  o horizonte que surge para a sua carreira-solo?
BM - Estou muito feliz. Na carreira-solo terei total liberdade para experimentar coisas novas; testar minhas ideias. Estou nervoso com o horizonte que surge, como você diz, mas muito motivado e confiante.

SIGA A TRIBUNA
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
CAPA DE HOJE
PUBLICIDADE