TRÂNSITO AO VIVO
sexta-feira, 24 de março de 2017
FIQUE SABENDO AGORA
PUBLICIDADE
Bahia

Trabalhadores de construtora bebem água com ratos mortos

Cerca de 61 funcionários da Construtora Prefac, localizada em Pojuca, ingeriram água contaminada na empresa

por
Tamirys Machado
Publicada em 07/01/2015 08:57:17

Cerca de 61 funcionários da Construtora Prefac, localizada em Pojuca, ingeriram água contaminada na empresa, durante a manhã da última segunda-feira (5). Foram encontrados oito ratos mortos, em estado de decomposição, no filtro da água. Alguns deles passaram mal e foram levados para o Hospital Municipal de Pojuca, região metropolitana de Salvador. Segundo o hospital da cidade, todos foram liberados no mesmo dia. A obra da empresa fica no município de Mata de São João, em uma fazenda onde ocorreu o acidente, porém a sede da Prefac é localizada em Pojuca. A Prefac não quis se pronunciar sobre as possíveis causas do incidente até que as investigações sejam concluídas. Eles suspeitam de sabotagem e informaram que uma equipe técnica da polícia já esteve no local para fazer a perícia e iniciar as investigações. O horário de funcionamento da obra é comercial e logo pela manhã os ratos já estavam no local. 

Conforme uma funcionária da Prefac que preferiu não se identificar, 29 funcionários foram encaminhados ao hospital, porém durante o dia de ontem a maioria retornou às suas atividades normalmente. “Temos um total de 61 funcionários, mas 29 deles passaram mal após saber que a água continha ratos mortos. Seis deles precisaram ser medicados e ficaram em observação, mas foram liberados”, contou. Segundo a funcionária, a Prefac prestou toda a assistência aos funcionários. “Inclusive três deles foram encaminhados para um hospital particular porque sentiram dores abdominais. Eles estão em casa em observação”, revelou. A Prefac informou que independente da investigação, os funcionários infectados serão acompanhados diariamente pela médica da própria empresa. “A construtora presta solidariedade ao caso e toda a assistência necessária”. Ainda segundo a funcionária da empresa, os ratos foram descobertos por volta do meio- dia, e logo após alguns funcionários sentiram náuseas, ânsia de vômito e dores. “Muitos sentiram certa repulsa por saber da informação dos ratos”, disse. A médica do trabalho da empresa recebeu orientação do Hospital Couto Maia sobre como proceder nesses casos e orientar os funcionários que ingeriram a água contaminada. 

A infectologista Jacy Andrade, professora de infectologia da Universidade Federal da Bahia, explica que o rato é uma fonte transmissora de Leptospirose e os sintomas não são imediatos. “Do ponto de vista da infectologia a gente se preocupa porque o rato é uma fonte transmissora da doença leptospirose. Eles podem eliminar a Leptospira e contaminar a água. Alguns dias depois, quem ingeriu pode apresentar os sintomas, como febre, olhos amarelos, hemorragia, calafrios, dores musculares, articulares, bem parecido com os sintomas da dengue”, disse. A Leptospira é uma doença proveniente da bactéria presente na urina de ratos e podem aparecer os sintomas após sete dias da contaminação. Ela ressalta que é preciso se manter em alerta e em caso de qualquer sintoma desse tipo procurar uma unidade médica. 

 

SIGA A TRIBUNA
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
EDIÇÃO ONLINE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE