TRÂNSITO AO VIVO
domingo, 28 de maio de 2017
FIQUE SABENDO AGORA
PUBLICIDADE
Política

Políticos baianos confirmam presença em protestos contra Dilma Rousseff

O analista político Joviano Neto disse ser difícil uma parcela não se aproveitar da situação

por
Victor Pinto
Publicada em 14/03/2015 08:02:37

Políticos como o deputado federal José Carlos Aleluia (DEM) e o peemedebista Geddel Vieira Lima confirmaram publicamente presença no ato que acontecerá em Salvador, no próximo domingo, contudo alegam que vão como cidadãos e não como políticos, e buscam angariar ainda mais participantes. Eles também se desvencilham da bandeira do impeachment.

“Todos os peemedebistas na Bahia devem participar das manifestações no domingo. É hora da cidadania ser exercida na defesa de mudanças no Brasil”, postou Geddel em seu perfil do Twitter.

Para tanto, Aleluia chegou a acionar a Secretaria Estadual de Segurança Pública, a Polícia Federal e o Ministério da Justiça para a manifestação.

O protesto coincidirá com a chegada da Marcha do MST a Salvador. “A título de prevenção, estou encaminhando, em nome do partido, ofício a esses órgãos públicos, que, de alguma forma, são responsáveis pela ordem e a segurança dos cidadãos, para tomarem medidas que evitem qualquer tipo de infortúnio”, disse.

O ex-governador da Bahia e ministro da Defesa, Jaques Wagner (PT), também se manifestou no Twitter, mas contrário à mobilização. “É triste ver como os fascistas destilam ódios nas ruas. E agora acredito que estão iludindo muita gente que progrediu nos 12 anos do nosso governo”.

O responsável pela coordenação civil das Forças Armadas também comparou a articulação das manifestações do atual momento à crise política do governo João Goulart. “Tem uma parte da elite brasileira que sempre se escondeu atrás das justas reivindicações da população, da classe média. Em 1964 foi assim. Muita gente de boa-fé foi pra rua contra o que se chamava o ‘terror do comunismo, da bagunça’.

O resultado disso foi um período de governos sem regra democrática, o que é sempre um prejuízo”, escreveu.

O analista político Joviano Neto disse ser difícil uma parcela não se aproveitar da situação. “Você acha que quem tem mandato vai só como simples cidadão? Muito difícil. A oposição que, ao mesmo tempo quer estimular o movimento, quer tirar a visão partidária, quer que seja espontânea da população. Mas pela minha visão, em história não há o “de repente” e em política não existe manifestação totalmente espontânea”, analisou.

SIGA A TRIBUNA
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
EDIÇÃO ONLINE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE