TRÂNSITO AO VIVO
sexta-feira, 24 de março de 2017
FIQUE SABENDO AGORA
PUBLICIDADE
Brasil / Empregos

Previsão é de que 101 mil brasileiros vão conseguir trabalho no fim do ano

Pesquisa aponta queda de 3% em relação ao mesmo período do ano passado

Publicada em 06/10/2016 17:21:37
Foto: ANPR/SEDS
A indústria deve absorver 56,6 mil trabalhadores (56%), serviços 10,1 mil (10%) e o comércio deve ficar com 34,3 mil (34%)
A indústria deve absorver 56,6 mil trabalhadores (56%), serviços 10,1 mil (10%) e o comércio deve ficar com 34,3 mil (34%)

Historicamente, o Natal sempre foi considerado o melhor período para o comércio varejista. No entanto, a partir de 2014 o cenário mudou, dando início a uma tendência de queda no volume de vendas e no valor dos presentes. Neste ano, o quadro se intensificou, resultando na queda de 3% no número de contratações temporárias para essa época.

A previsão deve chegar 101 mil em todo o Brasil, de acordo com o levantamento encomendado pela Fenaserhtt e pelo Sindeprestem (Federação Nacional e Sindicado das Empresas de Terceirização e de Trabalho Temporário no Estado de São Paulo, respectivamente) ao Cenam - Centro Nacional de Modernização Empresarial.

Segundo a pesquisa, a indústria deve absorver 56,6 mil trabalhadores (56%), serviços 10,1 mil (10%) e o comércio deve ficar com 34,3 mil (34%), sendo 50% somente no Estado de São Paulo. Temporários contratados em situação de primeiro emprego podem chegar a 20,2 mil e outros 5.050 mil terão chances de efetivação após o término do contrato.  

Para Vander Morales, presidente da Fenaserhtt e do Sindeprestem, este período de crise pode representar um bom momento para os temporários. “Novembro deverá concentrar a maior incidência de contratações, principalmente nos segmentos de eletrônicos, vestuário e acessórios. E mesmo com a oscilação negativa de contratações, os salários podem apresentar uma variação positiva de 9,5% para o comércio e de 7,5% para a indústria”, comenta.

Perfil das vagas

A maioria das vagas (78%) deve ser preenchida por homens. Candidatos entre 22 e 35 anos terão mais chances. E preferência para quem tenha ao menos o segundo grau completo é exigência de 65% das empresas. Segundo quase 60% dos entrevistados, os temporários selecionados recebem treinamento.

Trabalhadores em primeiro emprego podem chegar a 20% do total de contratações, somando 20,2 mil temporários.

O período dos contratos temporários deve oscilar entre 61 e 90 dias, de acordo com 57% dos entrevistados. A remuneração deve ficar entre R$ 1.100,00 e R$ 1.452,00. Principais benefícios oferecidos são vale-refeição, vale-alimentação e seguro de vida.

De acordo com o levantamento, 63% das empresas consultadas acreditam que haverá uma diminuição do ritmo de solicitações por temporários acima de 30%.

Segundo a pesquisa, a indústria deve requisitar mais temporários (75%) para área operacional. Os principais requisitos para contratação serão experiência anterior para 58% dos entrevistados e dinamismo para 25%.

O principal cargo ocupado por temporários no comércio será o de vendedor, de acordo com 71% dos entrevistados, seguido por promotor de vendas, auxiliar, repositor e fiscal de loja. Os requisitos mais citados foram facilidade em lidar com o público (38%) e experiência anterior (36%).

SIGA A TRIBUNA
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
EDIÇÃO ONLINE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE