TRÂNSITO AO VIVO
terça-feira, 28 de março de 2017
FIQUE SABENDO AGORA
PUBLICIDADE
Brasil / Cidade / Política

Na Bahia, Lula diz que acusadores devem pedir desculpas a ele

"A única coisa que eu peço a Deus é que essas pessoas, quando chegarem a conclusão de que não têm nada contra mim, eu só quero que eles peçam desculpas", disse o ex-presidente.

por
Estadão Conteúdo
Publicada em 11/01/2017 14:50:43
Foto: Heinrich Aikawa/Lula.com
"A solução da crise não passa por penalizar as classes mais pobres, mas inclui-las no Orçamento", disse ele.

Em meio ao encontro estadual do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em Salvador, na Bahia, onde o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi aclamado como candidato à presidência da República, o petista afirmou que espera desculpas daqueles que o acusam por crimes de corrupção.

"A única coisa que eu peço a Deus é que essas pessoas, quando chegarem a conclusão de que não têm nada contra mim, eu só quero que eles peçam desculpas", afirmou Lula, a uma plateia de agricultores e militantes do PT que usavam bonés com a inscrição "Estamos com Lula". 

O ex-presidente afirmou que o ódio construído contra seu governo está prejudicando o Brasil. "Não é possível que o ódio que eles têm de mim faça com que eles prejudiquem o País", afirmou.

Lula disse que, se necessário, será candidato. "Nós vamos voltar a governar este País", destacou. O discurso do petista foi marcado por lembranças de seu governo e ataques ao presidente Michel Temer (PMDB), a quem o PT cobra a saída do cargo e a antecipação das eleições de 2018 pelo voto direto.

"O que está acontecendo no Brasil é algo anormal. Esse país não pode sair da alegria, do otimismo e da esperança que estava para a desgraça que estamos vivendo hoje."

O petista acusou o presidente Temer de entregar a Petrobras a multinacionais e destruir todas as políticas de valorização nacional da empresa. Lula defendeu que o governo federal precisa voltar a fazer investimentos diretos e a bancar financiamentos a pequenos empresários e consumidores através dos bancos públicos.

 

SIGA A TRIBUNA
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
EDIÇÃO ONLINE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE