TRÂNSITO AO VIVO
sexta-feira, 26 de maio de 2017
FIQUE SABENDO AGORA
PUBLICIDADE
Valdemir Santana

Boa Terra - Coluna do dia 17/02/2017

Publicada em 17/02/2017 08:48:41

Charme e estilo da Bahia na abertura do Baile da Vogue 

O mais badalado e exclusivo baile pré-carnavalesco do país, o “Baile da Vogue”, começou ontem, no “Hotel Unique” de São Paulo, curiosamente desfazendo o antigo mito sobre vestido e sapatos para fazer a glória das festas. A sensação foram os cabelos, penteados e os arranjos de cabeça usados por celebridades e gente chique de todo o país. A baiana Monique Borges de Melo, Publisher da agência de comunicação “Texto&Cia”, de Salvador, viajou cedo para evitar atropelos na agenda de Evaldo Ribeiro.

Evaldo que é baiano, é considerado um hair dresser cheio de talento, e atende celebridades em São Paulo. Já a maquiagem de Monique foi assinada por Elton Thadeu, o profissional que cuida também do visual da apresentadora Mariana Weickert. Além de Monique, foi  enorme a turma de celebridades e beldades que anteciparam a produção, para evitar atropelos. 

O quartel-general da beleza ficou sem dúvida com a equipe de Marcos Proença, um dos cabeleireiros mais caros do país, contratado para fazer a preparação de cantora Anitta Machado, a grande estrela da noite.

Na equipe do salão de Proença, destaque também para o cabeleireiro Tiago Aprígio, que antecipou com eficiência o visual da poderosa digital influencer Flávia Pavanelli, famosa também por colecionar namoros com astros do show business, como o polêmico MC Biel e o cantor Luan Santana, além do piloto Adibe Marques. 

O “Baile da Vogue” que tem a jornalista baiana Daniela Falcão entre as anfitriãs, teve como tema central a proposta “Lady Zodiac”, o que fez as mulheres correrem e disputarem com faca nos dentes os melhores maquiadores e cabeleireiros do país. Como a coluna antecipou com exclusividade, o cantor baiano Durval Lellys foi uma das estrelas escaladas para a noite chique.

A turma tricolor que leva o grand monde para o estádio 

Quem fez um link perfeito entre a trajetória esportiva do “Esporte Clube Bahia” e o empenho com que a alta sociedade local se agitou para que o time chamado de campeão dos campeões ganhasse destaque internacional foi o advogado Ricardo Borges Maracajá. Ele estava no plenário da “Assembleia Legislativa do Estado da Bahia” ontem, na sessão que comemorou os 29 anos do título de campeão brasileiro pela atual estrutura do campeonato. Satisfação enorme porque é neto de Paulo Maracajá, também homenageado na solenidade por ter sido o Presidente do clube na época da premiação.  

Mas o detalhe sutil, e que reforça a ligação histórica da família com o esporte, é que outro avô de Ricardo, Benedito Borges de Melo, foi o diretor de futebol que presidia o Bahia em 1959. Na época, empenhou boa parte da fortuna da família, ligada ao trade de revenda de veículos, para que o clube se tornasse o campeão do primeiro campeonato do país.

Diplomacia baiana entre Milão e Salvador 

Quem passa temporada em Salvador e aproveita para visitar instituições culturais que são referência na vida contemporânea, como o “Instituto Geográfico e Histórico da Bahia”, é o embaixador Paulo Cordeiro de Andrade Pinto. Baiano de nascimento, ele é o atual cônsul geral do Brasil em Milão, a cidade mais rica da Itália. Estudioso das questões ligadas às defesas internacionais, ele fez uma revisão recente do livro “Diplomacia e Política de Defesa - O Brasil no debate sobre a segurança hemisférica na década pós-Guerra Fria”, em que focalizou o período de 1990 a 2000.

Na visita ao “IGHB”, ele ganhou de presente o “Catálogo de Obras Raras do IGHB, publicado e editado pela instituição. Na foto, ele posa ao lado de Antonio Luis Calmon Teixeira, assessor jurídico do instituto, da vice-presidente Beatriz Lima, de Eduardo Morais de Castro, presidente do IGHB, e do diretor Fernando Souza.

Praia do Forte reinventa o pré-carnaval cheio de estilo

O balneário mais chique da riviera norte de Salvador, Praia do Forte, não cabe em si de ansiedade pelo revival de estilo previsto para este sábado. É a tarde de desfile do animado bloco de rua “Banda Voou”, que desfila há vinte quatro anos com uma singular banda de sopro. Mas a novidade é que o entusiasmo continua o mesmo, mas este ano vale também o enorme calendário de almoço que o high society programou para agitar antes, durante e depois do desfile. 

O almoço nas mansões chiques virou tradição chique e não se fala em outra coisa. “As mulheres aproveitam o ambiente especial e exibem cada óculos, cada caftan, cada produção que não se vê nem nas praias do Caribe. As turistas descobriram o estilo da Praia do Forte e fazem um fuzuê clicando a passagem das elegantes”, contou em off uma amiga da coluna, convidada para três eventos na tarde. Um dos organizadores do bloco é o empresário do trade de decoração e antiguidades Mito Calabrich.

Jeito casual de comemorar e manter a tradição chique 

O multiempresário Luis Martins Catharino Gordilho Filho festejou aniversário, anteontem, e reforçou aquele comportamento do Jet set internacional de que quem nasce em berço de ouro esbanja naturalidade. A festa foi elegante, mas sem alvoroço. Ele reuniu amigos no descolado e cosmopolita bar e restaurante “Pereira”, na icônica orla da Barra, o bairro que nasceu antes de Salvador.

Elegância sutil, no estilo dos lords londrinos que reúnem os amigos em pub onde só os homens têm acesso, e assim podem comentar à vontade sobre empresas, esportes, jogos sociais, e claro, a boa e forte política. A lista de convidados, na medida certa, incluiu, entre outros, o filho Bernardo Martins Catharino Gordilho; o talentoso arquiteto Luiz Antonio Nery, o artista plástico Tati Moreno, o Coronel Christóvão Rios de Britto, chefe da “Casa Militar” do ex-Governador Paulo Souto, Manuelito Souza, superintendente da “Santa Casa de Misericórdia da Bahia”, João Roma, Chefe de Gabinete do prefeito ACM  Neto, e Roberto Sá Menezes, Provedor da Santa Casa.

Para a  conversa movimentada, não faltou assunto, inclusive as origens da família de origem portuguesa que construiu um império de negócios têxteis no Brasil e deu a Salvador o refinado e exclusivo “Clube Baiano de Tênis”, referência enorme para o grand monde.

SIGA A TRIBUNA
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
EDIÇÃO ONLINE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE