TRÂNSITO AO VIVO
quarta-feira, 24 de maio de 2017
FIQUE SABENDO AGORA
PUBLICIDADE
Imóveis

Como organizar uma reforma?

Quando chega o momento tão sonhado da reforma, surgem milhares de questionamentos

por
Feminimo e Além , site parceiro da Tribuna da Bahia Online
Publicada em 17/04/2017 14:00:12

Podemos dizer que o sonho da casa própria é quase inerente a todo ser humano que habita este planeta, não é mesmo? Quem é que não almeja ter o seu canto com a sua identidade estampada?

Afinal, um espaço residencial que não comunique ao visitante traços e gostos particulares da sua dona/dono não pode ser chamado de lar, por mais bonito e elegante que esse possa ser.

Apesar de não ser um sonho tão fácil de ser alcançado, quando esse se torna realidade surgem diversos fatores que influenciam no resultado final, tanto no aspecto funcional quanto no aspecto estético e isso é inversamente proporcional ao tamanho da casa: quanto menor maiores as preocupações com o uso do espaço e o seu aproveitamento.

Por isso que hoje resolvi falar especificamente sobre reformas residenciais, objetos de trabalho constantes em meus projetos.

Quando chega o momento tão sonhado da reforma, surgem milhares de questionamentos sendo esses os mais comuns:

  • Quanto vou gastar?
  • Como é que eu vou fazer pra caber tudo aqui?
  • Será que eu devo contratar um arquiteto/designer de interiores?

 

  1. Faça um planejamento financeiro

Muito mais do que a vontade de gastar é indispensável que você faça as contas e saiba o quanto realmente possui no bolso que possa ser disponibilizado para a sua nova casa.

Não adianta ficar tendo mil ideias na cabeça, alucinando com quartos chiquérrimos e mega luxuosos se o seu bolso não lhe permitirá concretizar o que permeia toda a sua imaginação. “Ah, mas sonhar é de graça, né?” É sim, mas você já pensou em como não realizar um sonho pode ser frustrante?

  1. Contrate um profissional

Apesar de ser um ponto de extrema importância, muitas vezes ainda é ignorado por muitas pessoas. Não é incomum ouvir dizer que é chique ter um arquiteto ou um designer de interiores à sua disposição.

Em primeiro lugar, não é chique, é NECESSÁRIO. Apenas um profissional com habilidades técnicas adquiridas em cursos extensos de graduação ou especialização têm o potencial de adequar diferentes espaços às mais diversas necessidades dos seus usuários. Ademais, um profissional é importantíssimo para conceber toda a composição de cores, texturas e acabamentos nos espaços, através de parâmetros técnicos e projetos extremamente personalizados.

  1. Qual profissional contratar?

Existem três classes de profissionais que são muito constantes em reformas residenciais: arquiteto, designer de interiores e o engenheiro.

Antes de contatar qualquer um desses é importante saber de fato que você vai precisar fazer para realizar a sua reforma já que cada um desses profissionais responde a uma demanda específica de necessidades.

Desde 2014, existe uma norma que determina que para qualquer dos itens a seguir será necessária a assinatura de um laudo por um arquiteto ou engenheiro para a realização de reforma, são estes: instalações elétricas e de gás, dados e comunicação, automação, ar condicionado, exaustão e ventilação, revestimentos (fachada, piso ou parede), instalação de novos componentes, impermeabilização e vedação (esquadria, reboco e cortina de vidro, estrutura e sistema hidro sanitário de combate a incêndio, além de equipamentos industrializados como elevadores e bombas.

Ou seja, se você for fazer qualquer alteração na infraestrutura de sua residência, por menor que essa seja, você precisa contratar um arquiteto ou um engenheiro.

Pintura e gesso estão liberados dessa lista, então se você não for mexer em mais nada além disso um designer de interiores é o ideal para a sua demanda, pois ele vai conceber a ambientação minuciosa de cada cômodo da sua casa.

Muitos arquitetos já realizam o projeto completo, desde toda a concepção da infraestrutura do espaço (pontos elétricos, hidráulicos, luminotécnicos, etc.) até a ambientação do mesmo com os móveis e os objetos de decoração.

O engenheiro se encarrega de executar a obra através da coordenação de todos os profissionais envolvidos na reforma, sejam eles gesseiros, eletricistas, pintores, gesseiros, assentadores de bancada, etc. Claro que contratar um engenheiro para executar a sua reforma demanda um gasto a mais, mas acredito que é um investimento que vale muito a pena e te livra de muito stress, principalmente pra quem não entende nada de obra ou nunca esteve envolvido em uma.

  1. Pense no que você realmente gosta, e não no que está na moda.

Hoje a internet disponibiliza ao usuário um leque imenso de opções na área de arquitetura e decoração, principalmente quando o assunto é casa. Acontece que muitas vezes algumas pessoas se veem vislumbradas por alguma imagem de algum projeto e busca reproduzir aquela ideia ou aquele conceito sem pensar de fato se aquele espaço suprirá as suas reais necessidades, ou melhor, refletirá a sua personalidade.

Existe um nado ‘’stimmung” que utilizamos muito na concepção de espaços interiores. Stimmung quer dizer “sensação ao adentrar um ambiente”.

De fato, o stimmung se torna presente quando o espaço criado corresponde a uma atmosfera de sensações que fazem com que o visitante perceba nela a personalidade da sua dona/dono.

Esse é o resultado que como profissionais esperamos sempre alcançar para ter uma boa resposta final ao nosso trabalho. Então, persiga esse objetivo. Você já pensou em morar em uma casa ou apartamento sem ter a sensação de que aquele é o seu lugar?

  1. Exponha as suas necessidades

É essencial ter de forma muito clara tanto pra você quanto para o profissional que vai lhe auxiliar na sua reforma quais são as necessidades para cada um dos cômodos de sua casa.

Nessa hora quanto maior quantidade de informações melhor, pois garante ao profissional a elaboração concisa do seu perfil, dos seus gostos, hábitos e até mesmo das suas manias.

Essas informações são cruciais para a elaboração de um projeto adequado às necessidades do cliente. Não hesite em falar, pois mudar de ideia após a execução do projeto ou até mesmo da obra pode lhe trazer uma grande dor de cabeça.

Por último mas não menos importante, se você está realmente disposto a reformar a sua casa é muito importante que você tenha paciência. Por mais que haja planejamento e cronogramas elaborados, não só numa reforma residencial mas em qualquer outra obra imprevistos acontecem e temos de estar preparados para lidar com eles.

Boa sorte e até a próxima!

SIGA A TRIBUNA
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
EDIÇÃO ONLINE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE