TRÂNSITO AO VIVO
quarta-feira, 18 de janeiro de 2017
FIQUE SABENDO AGORA
PUBLICIDADE

Helô Sampaio

Itapuã viveu momento de glória neste último domingo, 18 de dezembro, com o ensaio geral do 6º Arrastão dos Cornos. O bloco mobiliza mais de 200 ‘cornos-sócios’ que percorrem as ruas do bairro alardeando “Não sei se sou, só sei que vou”, e se preparando para o grande desfile da Lavagem de Itapuã. Convida exortando a galera a ‘sair de cima do muro’.

Animado pela banda Cavalo de Playboi, por onde passa o bloco dos Cornos vai arrastando mais gente. Ao passar pela orla, os turistas se espantam com o nome, arreganham o maior sorriso e convidam os amigos (as) para fazerem parte do bloco, que só aumenta de tamanho. E lá vão todos entoando o grito de guerra: “quem for corno, me acompanhe”. O bloco aumenta a cada rua que passa. Por que será?

O interessante é que cada vez mais as mulheres participam. Valmir Santos, o Careca, presidente do Clube dos Cornos, já se diz preocupado com o grande número de ‘cornas’. “Daqui uns dias, vai ter mais cornas no bloco do que cornos. Isso prova que todos podem ser cornos e felizes”. O bloco brilha na lavagem de Itapuã, e quem quiser adquirir o ‘kit corno’ – camisa, caneca e chapéu de chifre – para a lavagem, é só ligar para Careca, 71 98188 5295. Vamos descer do muro e desfilar com os cornos de Itapuã, galera.

Mas antes da lavagem, temos que agradar o Papai Noel. Vamos ver se ele olha para o nosso Brasilzinho, para que tenhamos um ano mais ameno, com mais amor, menos roubalheira; mais trabalho e dinheiro, menos desemprego; mais segurança e educação e menos violência. Tá duro para sobreviver com tanta molecagem, tanta malandragem, cada um querendo passar por cima do outro, só querendo que tudo ‘venha a nós, e ao vosso reino, nada’.  

Mas essa época de Natal me deixa saudosa, melancólica. Foi quando a minha mãe, Nieta, o maior amor da minha vida, viajou para o andar de cima. Justamente no dia do Papai Noel. E todos os anos ela comprava antecipadamente um mundo de brinquedos, que distribuía com as crianças pobres de Ibicaraí. Era uma felicidade ver aqueles rostinhos felizes com os brinquedos na mão, sorrindo, mostrando um ao outro. Uma alegria!

Hoje, minha irmã Carmen, a primogênita, continua o trabalho iniciado por minha mãe. Ela mobiliza a família e consegue comprar 200, 300, em anos mais pródigos, 400 brinquedos, que distribui com as crianças dos bairros mais pobres de Ibicaraí. Este ano, não pude estar com ela no momento da distribuição, no domingo, 18. Mas gosto de estar lá nesse momento, de ver a alegria das crianças ao receber o presente inesperado. É importante para mim pela dedicação da minha mãe, e agora, da minha irmã. Mas principalmente pelas crianças, pelo brilho dos seus olhares, o prazer que demonstram ao segurar o presente. Isso nos faz ter esperança que melhores dias virão. Que as coisas vão melhorar.

Por falar em coisa boa, sou ‘useira e vezeira’ da Casa de Bolos de Itapuã, (Av. Dorival Caymmi – fone 3285 3333), pela qualidade e variedade dos bolos caseiros. É só chegar a sobrinhada do interior, que vou lá e faço a festa da gurizada. Lúcia, uma das proprietárias, me pirraça, mostrando um bocado de bolos, dos tradicionais aos bolos sem glúten, sem lactose e, principalmente, os bolos diet, meus preferidos, pois não posso aumentar mais o meu excesso de gostosura, não é, meu lindinho?

Eu pedi, e Lucia preparou para nós, essa receita especial do bolo de tapioca, que eu a-do-ro! Ponha o avental e vamos saborear já preparando o corpo para chegarmos bem gostosos e apetitosos para o desfile do bloco dos Cornos, na lavagem de Itapuã.

Bolo regional de tapioca

Ingredientes
-- 
220g de tapioca
-- 20ml de leite
-- 160ml de leite de coco
-- 3 ovos
-- 100g de manteiga ou margarina
-- 160g de açúcar
-- 100g de farinha de trigo
-- 50g de coco ralado,
-- 1 colher de sopa de fermento em pó.
 
Modo de Preparar:

- Na batedeira, colocar os ovos, a manteiga e o açúcar e bater por 15 minutos;

- Acrescentar a farinha de trigo e a tapioca, aos poucos, alternando com o leite e o leite de coco;

- Por último, colocar o fermento, com a batedeira desligada. Misturar delicadamente e levar ao forno em uma fôrma apenas untada. Tempo de assar: de 45 minutos a uma hora.

Colunas anteriores
Outras notícias: mais recentes · mais antigas
SIGA A TRIBUNA
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
EDIÇÃO ONLINE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE