TRÂNSITO AO VIVO
domingo, 26 de fevereiro de 2017
FIQUE SABENDO AGORA
PUBLICIDADE

Helô Sampaio

Vencemos o primeiro mês do novo ano. De muita agonia, lava jato com morte de ministro, seca provocando incêndios nas roças, Eike ficando careca e comendo feijão com salsicha (seria a primeira vez destes últimos anos?), falta de água nas torneiras e, agora, até retorna a febre amarela, debelada há muitos anos. Quem aguenta?

Mas fevereiro não é somente isto. Fevereiro são dias com um sol maravilhoso, um mar com um verde deslumbrante, lindas flores, frutas deliciosas, sem se esquecer das festas de largo, animadíssimas, que deixam meu povo assanhado. É a normalidade do mês!

É hora também de preparar o espírito para o Carnaval, botar o corpo para pegar um bronze na praia e treinar remexer as ‘cadeiras’ para chegar provocante nas festas e nos saraus que acontecem em cada esquina da nossa terrinha. Tá pensando o quê, bofe? Até eu, que sou mais bestinha, estou me preparando para sair linderésima pela avenida. Ah! A minha amiga amadinha, Gessy Gesse, já me chamou para desfilarmos com as Filhas de Gandhy. Seremos as duas foliãs mais animadas e gostosésimas do pedaço e vamos seduzir e ganhar todos os beijinhos dos gatões bonitos. Vamos ar-ra-sar este ano.

E já estou bem treinadinha. Outro dia, no aniversário de Laíse, filha de Sandra e Paulinho Maciel, meu irmãozinho jornalista, de Juazeiro, houve uma festa animada pelo violeiro Eugênio Cerqueira e a cantora Márcia Duarte, dentre outros. Oxente! Fui pro meio do salão com Paulinho, Sandra e minha irmã Ana e sacudi as ancas até o anoitecer. Tá pensando o quê, véio? Sou uma ‘coroa’ bonita e gostosa. Estou um pouquinho usada, mas ainda dou pro gasto. (Às vezes, não dou).

Já preparei um shortinho cavadinho, delineando o ‘bumbum’, e uma blusinha com decote que vai até o umbigo para enfeitar o meu ‘corpitcho’, que estou modelando na piscina do Costa Verde, nadando uma hora por dia, pra aguentar ‘o tranco’ das festas. Ah! Todos os dias, quando eu chego, ‘seu’ Reginaldo, o cativante e gentil porteiro do clube – também é estudante de Administração –, ‘enche minha bola’: “A pró está uma sereia, morena e linda”. E eu acredito piamente.

Depois desse festão que prestamos para Iemanjá, vamos esquentar os tambores na festa da Lavagem de Itapuã, que será dia 16 de fevereiro, para cair gostoso na gandaia do Carnaval. Gandaia que vai encerrar condignamente o mês mais curto e gostoso do ano. Fevereiro é o mês dos aprontes, da pegação, da zoeira que se encerra em março, com a quaresma, arrependimento em cor roxa, e o esforço para pagar os débitos e compromissos das orgias. Em março temos que ficar com cara séria, falar manso e ter jeito de ‘mocinha direita’. Oh! Céus! É duro! Mas ‘nóis guenta’.

Voltando à festa do aniversário de Laíse, onde dividi a mesa com o violeiro Eugênio, além da boa música e do papo animado, a gente disputou bravamente o tira-gosto que Sandra preparou pessoalmente para o evento. Uma carnezinha deliciosa! Depois que a provei e falei com o Eugênio, a toda hora o pratinho tinha que ser reposto. E a gente, com aquele jeito de ‘não é comigo, não’, ‘fundava’ na carne louca com torradinha, sorrindo que nem menino traquina. Muito divertido. Amei a festa.

E quando Eugênio foi chamado pra tocar e, em vez de ‘sou Flamengo e tenho uma nêga chamada Teresa’ ele cantou ‘sou Bahia e tenho uma nêga chamada Maria’, eu pulei no meio do salão. Se quiser ver como o meu amigo é um grande músico, é só pesquisar no www.eugeniocerqueira.com.br. Saboreie a carne ouvindo o CD Seresta que ele acabou de lançar.

Carne louca de Sandra de Juazeiro da Bahia

Ingredientes
-- 500g de carne lagarto
-- 1 sachê de caldo de carne
-- 1 vidro de alcaparras
-- ½ colher (chá) de sal
-- 2 colheres (sopa) de óleo
-- 7 xícaras de água fervente
-- 3 tomates (pequenos) picados
-- 1 cebola (média) picada
-- 6 dentes de alho
-- ½ xícara de azeite de oliva
-- ½ xícara de azeitonas verdes e ½ xícara de azeitonas pretas picadas
-- Passas, pimentão amarelo e pimentão vermelho a gosto.

Modo de preparar

-- Polvilhar o lagarto com o caldo de carne e sal;

-- Em uma panela de pressão, colocar o óleo, cebola e alho para dourar;

-- Juntar a carne e deixar dourar de todos os lados;

-- Regar com a água, tampar a panela e deixar cozinhar (por uns 80 a 90 minutos);

-- Retirar o caldo e cozinhar os pimentões, azeitonas e alcaparras;

-- Desfiar a carne e misturar ao caldo com os ingredientes;

-- Acrescentar o azeite de oliva e as passas, colocando tudo numa vasilha e levar à geladeira por 24 horas, pensando em como esse povo barranqueiro do São Francisco tem ‘arte’. 

Colunas anteriores
Outras notícias: mais recentes · mais antigas
SIGA A TRIBUNA
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
EDIÇÃO ONLINE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE